Decimosegunda C√°tedra - Fernando Henrique Cardoso

Fernando Henrique Cardoso

Decimosegunda C√°tedra - 30 de marzo de 2006

"El Estado de la Democracia en América Latina"

Orador: Fernando Henrique Cardoso, Ex Presidente del Brazil

Minha exposição nesta tarde versa sobre o estado atual da democracia na América Latina.

O tema continua n√£o apenas oportuno, como ganhou, na verdade, uma nova import√Ęncia mais recentemente.

Restaurada nas d√©cadas de 80 e 90 na regi√£o, a democracia permanece formalmente preservada, ainda que, em alguns pa√≠ses, esteja sendo freq√ľentemente submetida a duras provas e, por isto, esteja ali bastante vulner√°vel.

Esta vulnerabilidade das institui√ß√Ķes democr√°ticas, aliada a um baixo crescimento econ√īmico, tem possibilitado, por sua vez, a volta do populismo e do discurso demag√≥gico na regi√£o. Isto representa, ao mesmo tempo, um retrocesso no tempo e uma amea√ßa √† pr√≥pria democracia t√£o duramente conquistada. √Č sobre estes temas que gostaria de fazer algumas reflex√Ķes.

A região rumo à esquerda? Que tipo de esquerda?

Minha primeira observação é a de que tem tido livro curso atualmente uma percepção, a meu ver simplista e parcialmente equivocada, porém bastante disseminada, de que a América Latina caminha na mesma direção, e de que esta direção estaria claramente à esquerda do espectro político.

A comprova√ß√£o desta tend√™ncia poderia ser encontrada na elei√ß√£o sucessiva, como se todas estas escolhas obedecessem a um mesmo e √ļnico movimento, dos Presidentes Hugo Ch√°vez, na Venezuela; Nestor Kirchner, na Argentina; Luis In√°cio Lula da Silva, no Brasil; Tabar√© V√°zquez, no Uruguai; Evo Morales, na Bol√≠via, e finalmente Michelle Bachelet, no Chile.

√Č fato que v√°rias destas novas lideran√ßas na Am√©rica Latina reivindicam credenciais de esquerda. Vencedores nas urnas, de forma democr√°tica, todos eles souberam detectar e captar em benef√≠cio de suas candidaturas um sentimento de desesperan√ßa, de cansa√ßo, quando n√£o de revolta aberta em v√°rias partes da Am√©rica Latina. Um estudo sobre o estado da democracia publicado pelo PNUD no ano passado √© claro sobre as raz√Ķes deste estado de coisas: as promessas de uma vida melhor e mais pr√≥spera que a democracia trazia nos anos 70 e 80 ainda n√£o se materializaram para grande parte dos Latinos Americanos. √Č como se ainda pertencessem, tais promessas, a um horizonte de tempo distante, talvez em outra vida.

Intervención Completa